Pode ser definida como uma inibição recorrente ou persistente do orgasmo, manifestada por sua ausência ou retardo após uma fase de excitação sexual adequada em termos de foco, intensidade e duração. Não se considera, porém, essa inibição como anorgasmia se a pessoa é capaz de atingir o orgasmo através de masturbação. É a disfunção sexual mais comum junto com a falta de desejo. Pode ter fatores biológicos correlacionados, assim como fatores psicológicos, como apresentar sentimentos de culpa em relação atividade sexual, deficiência feminina em assumir o papel erótico, medo de engravidar, traumas relacionados ao sexo, como por ter sofrido algum abuso sexual, ter tido relações dolorosas. A anorgasmia entre os homens é menos frequente.

Chakra é um termo sânscrito que quer dizer roda, círculo em movimento. No corpo são centros energéticos onde flui a nossa energia vital. Eles trabalham em sintonia entre si e com os corpos físico e psíquico. A função dos chakras é revitalizar, equilibrar e interagir com o corpo físico e psíquico, trazendo saúde a todo o sistema.

Devido a vários factores de stress do dia-a-dia da nossa sociedade as pessoas podem sofrer de problemas físicos ou psicológicos. Através de algumas terapias (no nosso caso terapia tântrica) utilizam os chakras como base para tratamento desses mesmo problemas, e é através das mãos (massagens) que é possível ativar estes pontos energéticos, equilibrando o corpo e a mente. O nosso bem estar físico é o reflexo da saúde do nosso corpo energético.


A ejaculação feminina é caracterizada pela excreção de líquidos pela vagina durante o orgasmo. Até hoje a ejaculação feminina continua a ser tópico de debate entre profissionais de saúde. A questão também envolve as discussões a respeito do ponto G.

A ejaculação precoce pode ter como origem causas físicas e psicológicas.

Frigidez (anafrodisia) é a falta de desejo sexual tanto em homens e mulheres. Mais conhecida por frigidez, a alibidimia é uma doença que pode ser de natureza física ou psicológica. A frigidez não é a falta de orgasmo (ver anorgasmia).

Podemos distinguir frigidez primária, que começa em idade jovem, de frigidez secundária, que surge como consequência de determinada situação que ocorre numa fase mais avançada da vida, a grande maioria é causada por vivências sexuais destrutivas, culturas empíricas ou religiosas, por traumas de infância (abuso e violência sexual), medo de engravidar, ansiedade, experiências obstétricas traumáticas e, na maioria das vezes, relações didáticas inadequadas (falta de diálogo com o parceiro), muitas vezes causadas por timidez da mulher. Na absoluta maioria dos casos, o desinteresse pelo sexo está ligado a fatores psicológicos ou sociais, sendo um dos mais frequentes determinantes a monotonia conjugal. Também a educação que se recebeu, a falta de diálogo entre os parceiros, as práticas sexuais pouco gratificantes e até a resistência em inovar acabam por contagiar o relacionamento e facilitam o desinteresse. O próprio facto de envelhecer e as dificuldades do cotidiano também podem interferir na satisfação sexual.

Junto com a frigidez, vem uma série de problemas que podem se tornar agravantes. A ansiedade é o primeiro dos sintomas, seguido de desinteresse e falta de apetite sexual. Leucorreias, alteração ou falta de ciclo menstrual, vaginismo (dor ou ardência nas relações devido à contração dos músculos vaginais) dispareunias. Porém a disfunção sexual feminina ou alteração da função sexual pode também facilitar a invasão de agressores externos, tais como micoses e bactérias, devido à falta de defesas pubianas, consequências da disfunções hormonais. Há também alguns casos de dores lombares e alterações de humor.


(em sânscrito: कुंडलिनी, Kundaliní) é uma energia física, de natureza neurobiológica, concentrada na base da coluna. Muitos por a considerarem sagrada, grafam o nome com a letra "K" maiúscula. Deriva de uma palavra em sânscrito (língua indo-europeia que ainda hoje faz parte do conjunto das 23 línguas oficiais da Índia e uso litúrgico no hinduísmo, budismo e jainismo) que significa, literalmente, "enrolada como uma cobra" ou "aquela que tem a forma de uma serpente".

Esta energia latente, adormecida no osso sacro, ao ser despertada por um terapeuta atravessa os seis chakras. São eles: swadisthana, manipura, anahata, vishuddhi, ajna e sahasrara.

Ao elevar-se pela coluna vertebral chega ao sétimo chakra conferindo a iluminação ou Nirvana para aquele que beneficia deste processo terapêutico holístico.

Tem-se constituído como tema de investigação no campo das ciências do comportamento (entre elas a Psicologia, a Enfermagem Holística e de Saúde Mental e Psiquiatria).

YONI - é uma palavra em sânscrito que significa “portal da vida” , "passagem divina", "lugar de nascimento", "fonte de vida", e ainda o órgão sexual feminino.

LINGAM - é uma palavra em sânscrito que significa “bastão de luz”, “coluna de sustentação”, e ainda o órgão sexual masculino.


Os mantras são sons sagrados que ajudam a entrar em estado de meditação. Dotados de grande força energética, eles também nos ajudam a harmonizar nossos medos, ansiedades e desejos. Para que funcionem bem, convém praticá-los com regularidade, pode ser diariamente, ou pelo menos em dias alternados. A palavra mantra provém do sânscrito e tem muitas diferenças sutis de significado “instrumento da mente”, “linguagem divina” e “linguagem da fisiologia espiritual humana” são apenas algumas de suas conotações. O mantra é um instrumento para curar os problemas que todos nós enfrentamos na vida. Como afirma o mestre místico sufi Vilayat Inayat Khan: “A prática do mantra literalmente amassa a carne do corpo com a repetição de sons. As células delicadas dos complexos feixes de nervos são submetidas a um martelar constante, um ataque à carne pelas vibrações do som divino”.

A massagem é uma das mais populares actividades que estão directamente relacionadas com a saúde. Em centros e institutos, existem tratamentos de lesões muito diversificadas e enfrentam-se toda a espécie de problemas que resultam das tensões quotidianas impostas pelo modo de vida actual.

O acto de da massagem tem, em nosso entender, um profundo significado, tanto para quem a faz, como para quem recebe: ambos sentem a experiência do tacto, do movimento e da energia, três vectores preciosos que se associam para o bem-estar da pessoa.

Os benefícios físicos e psicológicos da massagem são reconhecidos e valorizados desde a Antiguidade. Os primeiros médicos, que trabalharam com conceitos muito limitados das funções corporais, utilizaram a massagem de uma forma muito eficaz no tratamento do cansaço, e de algumas doenças e lesões específicas.


Vigorosa massagem, originária da Índia, feita com óleo vegetal e um pó medicinal feito da parte interna do coco de babaçu moído. Utilizamos toques profundos com as mãos e os pés, preparando o corpo para alongamentos e trações. Esta massagem desintoxica e estimula a circulação, traz flexibilidade e realinha a postura, aliviando tensões e restaurando energias. Concebida há mais de cinco mil anos, para restaurar as forças dos guerreiros indianos, a massagem ayurvédica é indicada para os guerreiros urbanos, que estão cansados de carregar o mundo nas costas e precisam iniciar uma temporada de relaxamento e renovação.

A massagem muscular ou massagem desportiva é realizada, tal como na massoterapia, por um conjunto muito diversificado de técnicas manipulativas manuais, com intensidade/pressão, praticada na zona de maior dor ou desconforto corporal, recorrente em casos de lesões musculares ou tendinosas e tecidos contraturados. Por ser uma terapia que provoca um desconforto momentâneo no corpo, é realizada uma massagem com pressão intermédia nos pés, mãos e cabeça após o tratamento da zona lesionada, com intenção de provocar um relaxamento fisiológico e psicológico ao paciente/cliente, de maneira a evitar que outra região do corpo crie uma nova tensão.

A massagem desportiva/massagem muscular visa:

  1. Aliviar dores musculares;
  2. Ativar circulação sanguínea;
  3. Liberar stress e tensões que bloqueiam o fluxo da energia;
  4. Saúde corporal.

A terapia é realizada, tal como na massoterapia, por um conjunto muito diversificado de técnicas manipulativas manuais, com uma pressão intermédia, praticada em todo o corpo (não incluindo os genitais) e localizando-se, por vezes, em zonas de maior tensão muscular.

A massagem de relaxamento/massagem relaxante visa:

  1. Aumentar a circulação sanguínea na musculatura paralisada ou com restrições do movimento na sequência de doenças ou tratamentos;
  2. Restaurar músculos rígidos;
  3. Mobilizar os tecidos que sofreram contraturas;
  4. Aumentar a tolerância dos tecidos à pressão;
  5. Aliviar a dor;
  6. Relaxamento específico e geral;
  7. Melhorar o bem-estar físico e psicológico.

A massagem tântrica busca depurar e desenvolver a sensibilidade, com o propósito de expandir e intensificar a sensação orgásmica, encadeando diversos grupos musculares na cadeia neurobiológica do orgasmo, tonificando e fortalecendo os músculos genitais de ambos os sexos, a fim de proporcionar uma maior sustentação de bioenergia, conforto, bem-estar físico, emocional e espiritual.

Crê-se que este trabalho de intensificação do orgasmo e da energia sexual possui um efeito terapêutico ao energizar os chakras e regulando a produção hormonal a este associada, para além de um efeito meditativo, de expansão da consciência e da percepção.

A Massagem Tântrica não deve ser confundida, porém com o sexo tântrico - chamado, em sânscrito, de Maithuna. A massagem, embora lide com a energia sexual, propõe uma quebra de paradigmas e de preconceitos ligados a sexualidade que, efectivamente, não pode acontecer numa relação sexual comum.

Apesar de utilizar o termo "massagem", ela na verdade não possui ligação direta com a terapia por massagem, possui técnicas, princípios, objetivos e origens diferentes da massoterapia e a nível de classificação internacional, a "massagem" tântrica ainda não é reconhecida com uma massagem propriamente dita, mas apenas entendida como uma terapia complementar. Contudo a investigação científica continua a sua saga em conferir-lhe a credibilidade merecida e são inúmeros os estudos que podemos encontrar já na literatura académica sobre o tema.


É um tratamento físico através de técnicas de massagem. O termo Masso, significa massa, corpo. Massoterapia é pois um conjunto muito diversificado de técnicas manipulativas (o terapeuta usa as mãos para induzir alterações benéficas nos músculos e estrutura óssea do paciente ou, através delas, noutra parte do corpo) OU, não-manipulativas (com recurso exclusivo a aparelhos mecânicos/elétricos); esta é uma das formas de terapia mais antigas do mundo, tendo aplicação numa grande variedade de situações.

A mesma terapia pode ser utilizada para um relaxamento profundo do corpo e da mente (massagem com uma pressão intermédia, realizada em todo o corpo) ou como meio de tratamento muscular em caso de lesões musculares ou tendinosas (onde é utilizada uma técnica mais profunda e com maior pressão, numa zona localizada do corpo). Os benefícios da massagem em termos físicos destinam-se a melhorar os sistemas circulatórios, muscular, nervoso e ajuda o corpo a assimilar os alimentos e a eliminar os produtos residuais. Em termos psicológicos e emocionais, os seus efeitos calmantes e tranquilizantes contribuem decisivamente para a melhoria do bem estar do paciente.


O orgasmo é a conclusão do ciclo de resposta sexual que corresponde ao momento de maior prazer sexual, intenso prazer físico acompanhado por ciclos de rápidas contrações musculares nos músculos pélvicos, que rodeiam os órgãos sexuais e o ânus, sendo frequentemente associados a outras acções involuntárias, como espasmos musculares noutras partes do corpo e uma sensação geral de euforia. Estas respostas neurofisiológicas são mediadas essencialmente pelo sistema nervoso autónomo.

No sentido restrito do conceito, apresenta-se como um pico rápido de excitação seguido ou não de ejaculação e com rápida queda na sensação de prazer. É sempre caracterizado como um período de grande relaxamento e queda da tensão arterial, devido à libertação de prolactina associada a uma redução temporária das atividades do córtex cerebral. Pode ser experimentado por ambos os sexos, dura poucos segundos e é sentido durante o ato sexual, a masturbação e pode ocorrer também na manipulação terapêutica da pele, faixas neuromusculares e órgãos genitais aquando de uma massagem tântrica. O orgasmo pode ser detectado com a ejaculação na maioria das espécies de mamíferos masculinos. Contudo na espécie humana, o orgasmo masculino, por exemplo, nem sempre está acompanhado de ejaculação, podendo ocorrer o orgasmo sem ejaculação ou seco, como podemos ler dos milenares cânones taoístas na China.

Uma vez que os órgãos sexuais têm a mesma origem embriológica em ambos os sexos, a sensação é equivalente para homens e mulheres, podendo haver um período refratário à estimulação direta após o orgasmo. Nas mulheres, as contrações musculares causam expulsão de líquido através da vagina, caracterizando a ejaculação feminina.

Num sentido mais amplo, o orgasmo, pelo menos na espécie humana, traduz a capacidade de amar, de entrega ao amor e ao prazer, sendo uma atitude de cunho não neurótico que, temporariamente, anula os sintomas básicos da neurose a partir da libertação da energia sexual ou libido. É também descrito como um potente estado alterado de consciência, um estado existencial de autorealização e prazer de viver intraduzível em palavras e geralmente vivenciado a partir de curtos momentos, ou momentos de pico.


É possível atingir o orgasmo sem a ejaculação (orgasmo seco) ou ejacular sem atingir orgasmo. Alguns homens têm relatado ter múltiplos orgasmos consecutivos, particularmente sem ejaculação. Os homens que experimentam orgasmos secos muitas vezes podem ter múltiplos orgasmos, com a necessidade de um período de repouso, ou período refratário, reduzido.

É caracterizado como uma zona erógena da vagina que, quando estimulada, pode conduzir a elevados níveis de excitação sexual, com orgasmos intensos e uma potencial ejaculação feminina. Este localiza-se aproximadamente 5,1 a 7,6 cm acima da parte frontal (anterior) da parede vaginal, entre a abertura vaginal e o canal da uretra, sendo sem dúvida uma área sensitiva do aparelho genital feminino.

De forma ainda controversa, por falta de evidências robustas, Scrocher (médico) afirma que fazer sexo ou masturbar-se pelo menos uma vez por semana ajuda no desenvolvimento do ponto G e evita doenças de pele - além de ajudar contra doenças cardiovasculares e diabetes.


O sexo Tântrico cria uma nova perspectiva, uma inspiração erótica de grande riqueza, uma capacidade de reflexão profunda e sensibilidade vital extrema que pode até gerar um tempo e espaço diferentes durante o contato sexual entre um casal. A prática tântrica pode ser realizada por qualquer casal que se proponha a tentar alcançar o prazer supremo e prolongado. Não é do interesse do sexo tântrico, o número de orgasmos ou de ejaculações que se alcance, mas e sim toda a experiência de comunhão física e espiritual com o/a parceiro/a para experimentando ambos o quão intenso pode ser esse prazer, pleno de desapego de toda censura imposta por si mesmo ou pelo os outros, mas plena de sensibilidade do erotismo.

Quando falamos em Tantra, a maioria das pessoa associa imediatamente ao sexo. Errado. Apenas 5% dos livros acerca do conceito tantra, abordam temáticas sobre o sexo. Existe claramente uma deturpação da informação que recebemos do Oriente: Tantra, quer dizer instrumento de expansão da consciência. O Tantra é, na sua essência, um sistema prático, uma nova abordagem de vida que não nega a energia sexual de base, evidentemente, mas possui princípios matriarcais, sensoriais e desrepressoras. As meditações, massagens tântricas e práticas vivenciais, levam ao despertar e ao ascender da energia Kundalini ou energia vital, que dá movimento à vida e consequentemente a todos os processos energéticos, emocionais, mentais, espirituais e fisiológicos dos seres humanos.

Considera-se que a ascensão da Kundalini acontece na região pélvica (chakra base) que sobe pela coluna vertebral até o topo da cabeça (chakra da coroa). Simbolicamente o desenrolar da cobra, da base da coluna até o topo da cabeça, a fim de conectar a energia sexual ao ponto mais alto da experiência, com o divino que habita em toda gente. Pode-se dizer que o propósito desta prática é voltar a sentirmo-nos como crianças, com a naturalidade que tínhamos em relação ao nosso corpo antes de aprendermos a esconder ou julgar partes do corpo como se fossem 'problemáticos', sujo ou pecado.

O Tantra ensina, entre outras coisas, reverência, amor, respeito e gratidão ao corpo. Ensina que o corpo é maravilhoso, o maior dos mistérios!

A primeira coisa é portanto o corpo. É a base do ser humano, o chão onde o ser está enraízado. Ser antagónico ao nosso corpo é destruir-nos a nós próprios, tornarmo-nos infelizes.

O ser humano primeiro é o corpo, diz Osho. O fenômeno mais complexo que existe é o corpo. Nenhum sol, nenhuma flor, nenhuma árvore tem um mecanismo tão evoluído quanto o do homem. Em nossa sociedade o ser humano foi ensinado a apreciar uma flor, uma árvore, as montanhas, os rios, mas nunca nos foi ensinado a respeitar o próprio corpo, a ficar encantado com ele. Tantra significa que você pode usar a energia sexual como um trampolim e uma vez conhecido o êxtase dessa energia pode-se entender o que é um orgasmo maior, um orgasmo cósmico.